Uruguaiana
Jornal de Hoje

Bernardo Pucheta é extraditado

29 Outubro 2018 18:23:00

Com dupla nacionalidade, o rapaz assassinou o advogado Rafael Sarzi Sartori em 2009 e fugiu para a Argentina.

Gabriela Barcellos
Rafael foi morto em novembro de 2009

Luiz Bernardo Serpa Pucheta, acusado de matar o advogado Rafael Sarzi Sartori, de 33 anos, em 2009, foi finalmente extraditado da Argentina, e já está recolhido à Penitenciária Modulada Estadual de Uruguaiana. A extradição foi concluída na manhã de ontem, 26/10.

O crime ocorreu no dia 18 de novembro daquele ano, por volta de 11h30min. Rafael estava sozinho em sua sala no escritório que dividia com os irmãos Bruno e Fausto, quando foi surpreendido por Pucheta. O assassino efetuou quatro disparos contra a vítima, três deles nas costas e um no pescoço, usando um revólver.

Após executar o advogado, Pucheta - filho de pai argentino e detentor de dupla nacionalidade - fugiu no carro da mãe, em direção a Paso de los Libres. Durante a fuga, atropelou o vigilante Jair Pinto Rodrigues, sobre a Ponte Internacional. Ele abandonou o carro e seguiu a pé. Enquanto Rafael estava sendo velado, Bernardo foi preso pela polícia argentina, em um ônibus, em Monte Caseros, ainda com a arma usada no crime.

Como ingressou em solo argentino armado e foi detido por porte irregular. A família de Sarzi Sartori imediatamente ingressou com um pedido de extradição para que ele fosse mandado ao Brasil para responder pelos crimes aqui cometidos. Em fevereiro de 2010, a Suprema Corte argentina, em tempo recorde, decidiu pela extradição, mas condicionou o retorno do assassino a solo brasileiro ao término de vários processos que o rapaz respondia na Argentina.

Pelos três anos seguintes à morte de Rafael, Bernardo ficou preso na Argentina, em razão do processo de extradição. Como não havia condenação, ele foi colocado em liberdade, e passou a morar em Paso de los Libres, enquanto suas pendencias com a Justiça argentina eram processadas. Com a conclusão de tais processos, a extradição pode ser concluída. Pucheta foi trazido até a Ponte Internacional, onde foi entregue para a Polícia Federal. Após os tramites, foi conduzido à Penitenciária Modulada.

O rapaz foi denunciado por homicídio duplamente qualificado e por tentativa de homicídio (contra o vigilante que atropelou durante a fuga). Ele deverá ser citado do processo nos próximos dias, para apresentar defesa.

Imagens

Jn-CIDADE-selo-M&M.jpg

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados | Suita Sistemas.