Uruguaiana
Jornal de Hoje

Entidades realizam ações alusivas ao Dia Internacional da Mulher

06 Março 2019 16:49:00

Larissa
Foto: Elza Kurtz

Nesta quarta-feira, 6/3, teve início a programação da Semana da Mulher, alusiva ao Dia Internacional da Mulher, que é celebrado em 8 de março. A ação promovida pela Coordenadoria de Promoção de Igualdade Racial de Uruguaiana (Copir), Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Condimu) e Coletivo Mundo com Mulheres esteve durante todo o dia de ontem na alameda da Praça do Barão em frente a Prefeitura Municipal.

De acordo com a coordenadora do Copir, Elza Kurtz, a atividade contou com a participação de oito grupos, entre eles a Associação dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas de Uruguaiana (Atapur), Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan), grupos de artesanato do conjunto habitacional João Paulo II e do Salvador Faraco, além de grupo sobre empreendedorismo feminino, entre outros.

Cada representante, dentro de sua atuação, distribuiu informativos relacionados a sua entidade, como saúde, empoderamento feminino e combate a violência contra a mulher.

A ação segue até sexta-feira, 8/3, na Praça do Barão e acontece das 9h às 17h. Nesta quinta-feira, 7/3, a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) se une a grupo para divulgar ações de combate a violência contra a mulher.


Roda de conversa

Também aconteceu ontem, 6/3, na Praça de Esporte e Cultura (PEC) do Bairro Rui Ramos, palestras com a delegada Caroline Huber e a inspetora Jaqueline. A fala foi direcionada às mulheres que residem na comunidade e às integrantes dos grupos que trabalham voltados a assistência social das famílias de Uruguaiana. A roda de conversa foi organizada pelo Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdimu) e contou com a participação da presidente da Associação dos Catadores de Lixo Amigos da Natureza (Aclan), Maria Tujira da Silva.

Na oportunidade, a delegada Caroline esclareceu dúvidas frequentes sobre violência contra a mulher e destacou a importância das denúncias. "Apesar de nas últimas décadas as mulheres terem ganhado um espaço muito maior na sociedade, o medo de seus companheiros ainda existe. Todas as semanas registramos ocorrências sobre casos de vítimas que são agredidas há anos, mas sentem medo de denunciar. As mulheres precisam dar o primeiro passo e buscar ajuda", comentou a delegada Caroline. "A mulher não pode ter medo de denunciar e os familiares e vizinhos devem se meter", acrescentou.

A palestra que contou com a presença do prefeito Ronnie Mello, que ressaltou a importância da atividade. "Vejo aqui mulheres corajosas, algumas da comunidade e outras que trabalham em prol dela. Todas são multiplicadoras deste tema de defesa e proteção, por isso, a importância destes encontros. Nossos conselhos trabalham ativamente em prol da comunidade e todos os problemas precisam ser debatidos para serem resolvidos", ressaltou o prefeito.


Importunação sexual

Entre os assuntos abordados, a delegada Caroline Huber falou sobre a importunação sexual. "No ano passado o Governo federal sancionou, mas muitas pessoas ainda desconhecem a lei que torna crime a importunação sexual. O crime que tem pena prevista de 1 a 5 anos de prisão foi discutido após uma mulher ser vítima de um sujeito dentro de metrô, no Rio de Janeiro", disse a delegada.

A lei caracteriza como crime de importunação sexual a realização de ato libidinoso na presença de alguém e sem seu consentimento, como toques inapropriados ou beijos "roubados", por exemplo.

A importunação sexual difere do assédio sexual, que se baseia em uma relação de hierarquia e subordinação entre a vítima e o agressor.

Imagens

Jn-CIDADE-selo-M&M.jpg

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados | Suita Sistemas.