URUGUAIANA JN PREVISÃO

Agricultura

Gedeão Pereira alerta para quebra muito grande na safra

Divulgação/Agricampanha imagem ilustrativa - fireção ilustrativa - – Legenda: Presidente da Farsul disse que produtores se descapitalizaram

A Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) recebeu deputado federais e estaduais para reunião convocada pela entidade para discutir a situação do agronegócio gaúcho e a realidade do que vem sendo enfrentado pelos produtores após as enchentes. 

O presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira, falou sobre a excepcionalidade vivida pelo povo gaúcho e as dificuldades pelas quais os agricultores estão passando, e a necessidade de apoio para que a situação fiscal não deteriore diante das perdas ocorridas em maio de 2024. 
Pereira pontuou que vê com preocupação a relação atual com o Ministério da Agricultura. "De saída, tivemos uma relação muito boa (com o ministro da Agricultura Carlos Fávaro), mas a partir do momento em que contestamos a importação de arroz, houve um corte de diálogo", declarou. 
De acordo com o presidente da Farsul, os produtores se descapitalizaram. “Se não vierem medidas de exceção nós vamos ter uma quebra de safra muito grande para o próximo ano, por falta de capital", disse Gedeão. 

Passivos elevados 

O economista-chefe da Farsul, Antônio da Luz, apontou que a situação do produtor, do ponto de vista do crédito, é extremamente delicada, visto que o Estado já havia sofrido com duas estiagens seguidas antes das enchentes atingirem o território. "Os produtores carregam passivos elevados dentro do sistema de crédito rural tradicional", declarou. 
Da Luz informou que foi feito  um pedido de linha de crédito especial para o governo federal, de 15 anos, com dois anos de carência e 3% de juro. "Nós não estamos pedindo algo que não existe no Brasil, e só não temos isso porque o Rio Grande do Sul não dispõe de um fundo constitucional como outras regiões do país", completou. 

Passivos elevados 
O economista-chefe da Farsul, Antônio da Luz, apontou que a situação do produtor, do ponto de vista do crédito, é extremamente delicada, visto que o Estado já havia sofrido com duas estiagens seguidas antes das enchentes atingirem o território. "Os produtores carregam passivos elevados dentro do sistema de crédito rural tradicional", declarou. 
Da Luz informou que foi feito  um pedido de linha de crédito especial para o governo federal, de 15 anos, com dois anos de carência e 3% de juro. "Nós não estamos pedindo algo que não existe no Brasil, e só não temos isso porque o Rio Grande do Sul não dispõe de um fundo constitucional como outras regiões do país", completou. 

 

6.2 – Legenda: Uma das maiores perdas totais é na lavoura de soja 

6.3 – Legenda: Presidente da Farsul disse que produtores se descapitalizaram 

Créditos: Divulgação/Agricampanha 
 


Gedeão Pereira alerta para quebra muito grande na safra Anterior

Gedeão Pereira alerta para quebra muito grande na safra

Produtores podem obter crédito com subvenção Próximo

Produtores podem obter crédito com subvenção

Deixe seu comentário